domingo, 30 de dezembro de 2012

Ski camp

IMG_0928
     Bom… meus pais não estavam na praia. Na verdade, consegui falar com a minha prima e ela me disse que eles já tinham voltado para Fortaleza. Então, estavam na estrada e por isso que não estavam me atendendo.
      Consegui falar com meus pais a noite. Chorei, pois recebi a notícia que a minha cachorrinha não estava bem e que provavelmente ia fazer uma cirurgia para ver se ela melhorava. Depois, fui dormir.
       Acordei cedo para ir com o Ray alugar meus skis. Tive que me pesar. 130lbs. 59kg. Emagreci 1kg dos 5kg’s que eu ganhei aqui. Não sei se fico feliz, ou triste por ainda estar gorda. Ah! E acho que eu cresci 1cm. Não tenho certeza se estou com 1,58m ou 1,59, mas não faz muito diferença.
       Depois que voltamos da loja, colocamos as malas no carro e partimos para Mc Call. 3 horas de viagem, mais ou menos. Fiquei entediada faltando umas meia hora pra chegar, e propus de jogar um jogo. Mas não sabia nenhum… (na verdade eu sabia, mas tava com preguiça de tentar explicar o jogo em inglês)… então o Chris lembrou de um.
      A primeira pessoa tinha que dizer uma letra. A pessoa seguinte dizia outra. E assim por diante. As letras juntas tem que formar uma palavra. E o objetivo do jogo é fazer alguem, que não seja você, terminar de soletrar uma palavra. E então essa pessoa está fora do jogo.
       Não brincamos eliminando ninguém, pois já tinhamos poucas pessoas no carro. A brincadeira foi bem divertida e bastante difícil pra mim, por conta do inglês, já que eles só soletravam palavras difíceis, que as vezes nem o Chris sabia, e olha que ele faz Inglês na Universidade. O tempo passou bem rápido e logo logo chegamos em McCall.
       Fiquei impressionada com a quantidade de neve na cidade. As casas com aqua congelada descendo pelos telhados. Muito lindo. Passamos por várias cabanas pequeninhas, toda feita de madeira, e esperava que a casa deles fossem assim.  Quando chegamos lá, fiquei impressionada com o tamanho da casa. Nem era tão grande assim, mas bem maior do que eu esperava. A casa deles em McCall é maior do que a casa deles em Moscow.
        A casa é a beira do lago, então é ao mesmo tempo uma casa do lago e uma casa da montanha. O lugar é lindo ! A Julie separou algumas roupas de ski pra mim e me emprestou algumas roupas de frio da Katie. Ligamos o fogo, peguei um livro emprestado e passamos a noite assim. Só relaxando, conversando, e tentando nos aquecer.
       No outro dia acordamos cedinho pra ir skiar. Pena que a Julie não pode ir com a gente porque ela ta com o tornozelo quebrado. Roupa pronta. Bota e skis no carro. Partimos para a montanha. Chegando lá fomos comprar meu ticket de um dia para a pista mais fácil, e uma aula de iniciante. Compramos o ticket para a temporada toda pro Chris e depois o Ray foi tentar me ensinar skiar antes da minha aula.
      Tava morrendo de medo e só fazia gritar. Mas nada de cair. Ele ficou impressionao e disse que eu nasci para skiar. Eu ri. Chegou a hora da aula e eu fui para onde tava os professores. Eles eram muito simpáticos e adoraram ter uma aluna brasileira.
       Minha aula durou 2 horas e foi bem fácil. Não cai nenhuma vez. Fui a única que não cai. Depois da aula o Ray chegou e fomos almoçar. Logo em seguida ele disse que eu tinha que cair, pois essa era a parte mais difícil de skiar. Saber como cair e se levantar. O Chris concordou e disse que se eu não caisse eles iam ter que ficar me empurrando para eu cair.
       Fui então com o Ray para uma pequena ladeira ingrime e cheio de morro de neve. Onde, claro, eu cai. E foi então que percebi que era realmente verdade o que eles falaram. Cair é a parte mais difícil. Não machuca nenhum pouco, pois a neve é fofinha. Mas eu não consegui me levantar sozinha de jeito nenhum. Parecia que eu ia quebrar meu joelho se eu me levantasse. Depois de inúmeras tentativas o Ray foi me ajudar.
          Fui denovo. Cai. Mais uma vez não consegui levantar. Outra tentativa e não cai. Outra. Não cai. decidimos então ir para a ladeira do lado que era mais difícil. Dito e feito. Cai. Dessa vez eu consegui me levantar depois de um tempo. Mas logo em seguida meu ski começou a andar e eu cai de novo. Ri muito. Precisei de ajuda para levantar. Fui outra vez e não cai. Mudamos de ladeira. Não cai de novo. Já estavamos na hora de ir para o carro.
      Estava cansada. Com frio. Tomei banho. Jantei. Fiquei lendo livro e aproveitando a fogueira.
       No outro dia fomos comprar meu ticket para mais três dias skiando em todas as partes da montanha. Fui uma vez na Easy Street para aquecer e depois pegamos o “lift” (aquelas cadeirinhas) para o meio da montanha, onde tinha tres pistar verdes (nível fácil).
       O Ray ficou comigo me ensinando a descer verdadeiramente uma montanha de um jeito para iniciante, fazendo zig-zag e ficando com a perna em forma de pedaço de pizza, dessa forma conseguia controlar minha velocidade. Cai inúmeras vezes. E consegui me levantar sozinha. Quanto mais ingrime a ladeira, mais fácil é se levantar.  Depois de umas 4 vezes, aprendi a me controlar e fiquei mais segura.
       Paramos para almoçar e depois do almoço fiquei com o Chris.  Ele me ensinou outros macetes o que me ajudou muito. Depois de um tempo me encontrei com o Ray e resolvemos, então, ir pro topo da montanha, onde tinha uma pista verde bem longa.
       Lá em cima tava com muita neblina e não conseguimos ver quase nada na nossa frente a não ser a cor branca, Seguimos a trilha e quase não cai. Decidimos ir denovo. O Ray na frente e eu seguindo ele. Até que ele parou. Perguntei então, aonde a gente tava indo. E ele disse que se perdeu por conta da neblina e pegou o caminho errado. Me desesperei e perguntei qual era a cor das duas pistas que tinha na frente dele. Ele disse preta (mega difícil) e azul (média). Ou seja, estava ferrada. Tinha que seguir a média, que não era nenhum um pouco fácil, pois era perto do nível da preta, ou eu tinha que subir um longo caminho andando e levando os skis. Ele me pediu desculpas e disse que eu ia conseguir era só eu fazer a mesma coisa que eu estava fazendo antes. Fui morrendo de medo. A pista era bem longa e bastante ingrime, mas só cai duas vezes. Fui bem devargazinho, quase parando. Quando a aflição terminou, morremos de rir. E já tava na hora de ir embora.
    Nos outros dois dias fiquei esquiando nas pistas azuis enquanto o Ray e o Chris esquiavam entre as árvores seguindo a minha pista. Foram, com certeza os melhores dias! Quase não cai e fui me desafiando cada vez mais em pistas mais difíceis.  E a última pista foi uma que o carro de gelo não tinha passado então era cheio de morro de neve, foi super legal e bem mais desafiador.
      Aqui um video quando tava aquecendo no quarto dia. Foi a primeira pista o dia. Não sou nenhuma profissional mas para os primeiros dias esquiando está bom demais !
video
     Voltamos para casa no dia 30, arrumamos as malas e partimos. Tava morta de cansada e dormir o caminho da volta inteiro. Tive um pesadelo e acordei no carro chorando. Sonhei que a Kika, minha cachorrinha, tinha morrido. Foi horrível.

0 comentários:

Postar um comentário